Politics

Download E-books Os EUA e a Nova Ordem Mundial - Um Debate Entre Olavo de Carvalho e Alexandre Dugin PDF

Posted On March 16, 2017 at 7:28 pm by / Comments Off on Download E-books Os EUA e a Nova Ordem Mundial - Um Debate Entre Olavo de Carvalho e Alexandre Dugin PDF

By Olavo de Carvalho, Aleksandr Dugin

Quais são os fatores e os atores históricos, políticos, ideológicos e econômicos que definem atualmente a dinâmica e a configuração do poder no mundo e qual a posição dos Estados Unidos da América no que é conhecido como Nova Ordem Mundial? Essa é a pergunta que o cientista político russo Alexandre Dugin e o filósofo brasileiro Olavo de Carvalho procuram responder nesse debate, que atingiu momentos acalorados e polêmicos. Partindo de posições radicalmente diversas, cada autor esclarece como vê o atual conflito de interesses no plano internacional, elucidando quem são seus principais atores e quais as forças e objetivos envolvidos. No ultimate, os dois debatedores não chegam a um acordo e o grande vencedor é o leitor, que sai do debate com uma visão mais abrangente da política internacional e da luta pelo poder que está sendo travada para a formação da Nova Ordem Mundial.

Show description

Read Online or Download Os EUA e a Nova Ordem Mundial - Um Debate Entre Olavo de Carvalho e Alexandre Dugin PDF

Similar Politics books

The Pity Party: A Mean-Spirited Diatribe Against Liberal Compassion

Within the vein of Jonah Goldberg’s Liberal Fascism comes a scathing and reasoned critique of the politics of liberal compassion—and why liberals’ loss of curiosity within the result of their rules renders them undeserving to control. for many years, conservatives have chafed at being referred to as “heartless” and “uncaring” by way of liberals, with out ever demanding this cost.

Man, the State, and War: A Theoretical Analysis

What are the explanations of struggle? to reply to this query, Professor Waltz examines the information of significant thinkers through the historical past of Western civilization. He explores works either by means of vintage political philosophers, corresponding to St. Augustine, Hobbes, Kant, and Rousseau, and via glossy psychologists and anthropologists to find principles meant to provide an explanation for battle between states and similar prescriptions for peace.

The Dispensable Nation: American Foreign Policy in Retreat

A monetary instances top e-book of the YearForcefully persuasive, The Dispensable kingdom is a video game changer for the United States because it charts a direction within the Muslim global, Asia, and past. Vali Nasr indicates how the Obama management neglected its probability to enhance U. S. kin with the center East via carrying on with to pursue its predecessor’s questionable suggestions there.

Black Gold: The Story of Oil in Our Lives

Oil isn't lovely, however it is a source that drives the trendy world.  It has made fortunes for the fortunate few and supplied jobs for hundreds of thousands of normal fogeys. Thick and slippery, crude oil has an evil odor. but with no it, existence as we are living it this day will be most unlikely. Oil fuels our engines, heats our houses, and powers the machines that make the typical issues we take without any consideration, from procuring luggage to desktops to clinical apparatus.

Extra info for Os EUA e a Nova Ordem Mundial - Um Debate Entre Olavo de Carvalho e Alexandre Dugin

Show sample text content

E o materialismo objetivo... , recusando-se a escolher entre eles”. ninety four Só Deus tem o direito de nos impor a escolha derradeira, ultimate, irrecorrível. “Quem não está comigo, está contra mim” e “Quem não junta comigo, separa”, disse o Senhor. Desde então, seus macaqueadores satânicos não param de fingir que têm na mão a escolha definitiva, obrigatória, cristalizada num dualismo macabro. ecu não poderia mostrar o absurdo disso melhor do que o resumiu Otto Maria Carpeaux num ensaio memorável sobre Shakespeare: Durante anos foi a consciência européia maltratada pela suposta obrigação de escolher entre Hitler e Stálin – ‘não há outra alternativa! ’. Depois, quiseram obrigar a consciência mundial a escolher entre Stálin e Foster Dulles – ‘não há outra alternativa! ’ E depois e em toda parte continuam impondo-nos essas alternativas, tão parecidas com a luta absurda entre as duas Casas de Montague e Capulet, que é o verdadeiro tema de Romeo and Juliet... É esta a verdade que Mercutio reconhece na extrema lucidez da hora da agonia, gritando – e gritamos com ele: a virus o’ either your homes! , ‘A peste sobre vossas duas casas! ’, e amém. ”95 Se as casas são três em vez de duas, que a peste venha em triplo. Nenhum Duginismo do mundo poderá me obrigar a escolher entre o Consórcio, o Califado e o Império Russo-Chinês. Mas o Prof. Dugin até simplifica as coisas para mim, sintetizando estes dois últimos no Império Eurasiano, reduzindo as alternativas ao bom e velho dualismo dos Montagues e Capuletos e querendo vestir em nós a camisa-de-força da escolha obrigatória. an endemic o’ either your homes! 12. Armas Portanto, é um tanto incorreto apresentar o Prof. Carvalho como “neutro” ou “imparcial”, ao passo que sou “engajado” ou “ideologicamente motivado”. Somos ambos ideologicamente engajados e cientificamente envolvidos. Assim, ecu continuo a considerar nossas fotos, não como “Professor x Guerreiro”, mas sim como “dois professores/guerreiros um contra o outro”. Finalmente, nos braços do Prof. Carvalho há uma arma. Não uma cruz, por exemplo. E, a propósito, há algumas fotos minhas segurando uma grande cruz durante cerimônias religiosas. Assim, isso nada ilustraria. Nossas religiões são diferentes tal como nossas civilizações o são. É certo que nós dois aparecemos nas fotos carregando armas, mas quais armas? A minha é uma espingarda de caça, que pode eventualmente servir para a defesa da casa mas é normalmente de uso esportivo e, neste caso concreto, tem servido eminentemente para matar cobras antes que mordam meus cachorros menores (não o grandão, que as come pensando que são salsichas móveis). Já as do Prof. Dugin são armas de guerra, privativas de governos, criadas especificamente para matar seres humanos (ninguém jamais caçou cobras ou tatus com uma bazuca ou um tanque), e não para matar um ou dois e sim para liquidá-los a granel, às centenas, aos milhares. Como dizer que essa diferença “não ilustra nada”? Não há mesmo diferença entre defesa pessoal e homicídio em massa? thirteen. Dugin contra Dugin (2) «Tanto ecu quanto o Prof.

Rated 4.14 of 5 – based on 8 votes